A beleza da área dos olhos em tempos de uso da máscara de proteção

Aprenda como cuidar dessa região e os procedimentos mais procurados
para valorizar o olhar
Fonte: Istockphoto


Com o cenário atual de pandemia, o uso da máscara de proteção já é um acessório que faz parte do nosso dia a dia, e a área do rosto que fica mais em evidência são os olhos. Para entender como cuidar e até realçar a beleza dessa região com a ajuda da estética médica, a dermatologista Ligia Colucci (CRM-MG 35387/RQE16917 ) esclarece o tema.

Segundo a médica, a área dos olhos é a região da pele mais fina e sensível, a pele possui menos de 2mm de espessura e, por ser um local muito delicado, sofre mais cedo com o processo de envelhecimento, tanto com a perda de gordura superficial, quanto de elasticidade.

Mesmo com o uso da máscara, não podemos deixar de manter a higienização do rosto com sabonete específico para cada tipo de pele, hidratar e reaplicar o filtro solar também nessa região. “Escolha um filtro oftalmologicamente testado, pois eles protegerão sem risco de reação. Noto em alguns pacientes a falta de reaplicação do filtro solar, por causa da máscara e uma maior valorização da área dos olhos com uso de maquiagem. Porém, é importante também retirar a maquiagem com produtos específicos antes de dormir”, revela a médica.

O olhar sempre foi importante na comunicação, porém agora não temos mais o sorriso e os olhos são o principal ponto de comunicação entre as pessoas. Segundo a dermatologista, com esse novo fator, houve um aumento na procura por procedimentos que valorizam essa área do rosto. “O procedimento mais procurado é a aplicação de toxina botulínica A seguido dos preenchimentos com ácido hialurônico. Há outros procedimentos que dependem da necessidade de cada paciente, como o ultrassom microfocado para ajudar na abertura ocular, estímulo de colágeno e associação com lasers, que também são coadjuvantes no tratamento. A avaliação em consulta irá determinar o que deve ser feito”, comenta Dra. Ligia.

Os sinais de envelhecimento como o famoso “pé de galinha” e as olheiras por estresse são queixas comuns no consultório. “O movimento constante ao sorrir e comunicar-se com quem está ao nosso redor pode levar à formação de marcas de expressão na região. Mas é importante lembrar que não somente o movimento repetitivo causa o problema. A perda do compartimento de gordura de toda a região da pálpebra inferior e lateral também resulta nas linhas de expressão e será somente resolvida com uso do ácido hialurônico para reestruturação da área, tratando então os “pés de galinha” e também as olheiras ou bolsas, caso haja indicação”.


Em alguns casos de excesso de pele, a doutora Ligia Colucci indica a beflaropastia, que é uma cirurgia plástica realizada nas pálpebras. Essa operação corrige o excesso de pele, gordura e flacidez muscular do território palpebral. “Após uma avaliação médica criteriosa, em alguns casos pode ser necessário uma cirurgia. Porém, mesmo depois da cirurgia, o paciente pode sim fazer esses procedimentos minimamente invasivos para manter os resultados” acrescenta a médica.

A dermatologista orienta que qualquer desejo de mudança estética deve ser acompanhado de uma avaliação médica e que não há uma faixa etária indicada para cada procedimento. “Gosto de falar que não existe idade ideal, mas indicação ideal e quem deve decidir em conjunto com você é seu médico de confiança”, esclarece a dermatologista.

Os procedimentos estéticos podem resgatar uma beleza original e a confiança de cada paciente, sem que se perca a naturalidade. Ser original também é encarar a mudança que desejar e se abrir para novas experiências, como o procedimento estético.

Compartilhe:

COMENTE!