Quatro dicas para se proteger da luz azul, presente em aparelhos eletrônicos


Previna-se da exposição à luz de computadores e TVs, responsável por acelerar o envelhecimento

Além de se precaver em relação ao corona vírus, os milhões de brasileiros que estão em casa – trabalhando em home office ou assistindo filmes e séries para passar o tempo – precisam tomar medidas para evitar os riscos causados por luzes prejudiciais a saúde da nossa pele. A luz azul, que corresponde a 40% da radiação que chega ao planeta pelos raios do sol, também está presente em lâmpadas e nas telas de computadores, smartphones, TVs e tablets. E, embora pareça inofensiva em comparação com os raios UVA e UVB solares, a chamada luz visível causa manchas na pele, acelera o envelhecimento e, em casos mais graves, pode influenciar no desenvolvimento do câncer de pele.
Em tempo de pandemia, as operadoras de TV e prestadoras de serviços de streaming se tornaram grandes aliadas para que a população possa quebrar a monotonia da quarentena. Além da Netflix, operadoras como Globoplay, Amazon Prime, NET/Claro Now, Spcine Play, Medeia Filmes, Sesc TV e Digital Concert Hall estão com sinal total ou parcialmente liberado. O que, convenhamos, é um grande serviço de utilidade pública.
Mas quem passa muito tempo em frente aos diversos gadgets – como notebooks smartphones e TVs – precisa ficar atento ao excesso de exposição à luz azul. Um dos efeitos desta luminosidade no organismo é a supressão da melatonina, o hormônio que induz ao sono. Assim, a exposição a este tipo de luz também prejudica a qualidade de vida. “A gente está envelhecendo muito rápido e antes da hora. Um dos principais motivos é a exposição exagerada à luz azul”, diz a dermatofuncional Natália Ribeiro, fundadora da Mais Top Estética. “A exposição a luzes artificiais, na tela do celular, do computador e da televisão, envelhece e causa manchas na nossa pele.”
Para evitar os efeitos danosos da luz visível, a especialista e empresária dá algumas dicas de como proceder nos momentos de lazer em frente às mais diversas telas de sua casa. Confira:
 Use filtro solar
Pode parecer batida, mas a dica segue extremamente válida. “Hoje em dia, os melhores filtros solares já contam ativos que bloqueiam a ação de luz artificial. Normalmente, vem escrito no rótulo: proteção contra luz visível”, comenta Natália. “Por isso, quando for escolher um filtro solar, se tiver produtos com um mesmo fator – branco e com cor –, escolha o filtro com cor. Normalmente, ele protege mais do que a maior do que maioria dos filtros brancos”.
Suavize as luzes do celularNo iPhone, a função Night Shift melhora a visualização da tela do dispositivo de acordo com o horário do dia e reduz a emissão de luz azul. Alguns celulares da Samsung também contam com um filtro específico para este tipo de luz. Quem tem aparelho com sistema Android sem funções como essas pode baixar aplicativos como Twilight, que também reduzem a emissão da luz visível.
Aposte nos antioxidantes
Os antioxidantes combatem os radicais livres, reparando os danos causados à pele, como manchas e rugas. Presente de forma abundante em frutas cítricas, a vitamina C é um dos melhores antioxidantes naturais. Outros alimentos com ação semelhante são frutas vermelhas, mamão, melão, peixes, aveia, linhaça, óleo de gergelim, azeite de oliva, pepino e sálvia. Além da ingestão de substâncias antioxidantes, há ainda a opção de produtos de uso tópico.
Hidrate a pele
Se a sua pele for seca, faça uma hidratação profunda e evite produtos abrasivos. Quem tem pele oleosa deve realizar a hidratação com produtos sem óleo na composição, além de limpezas profundas e constantes.

Compartilhe:

COMENTE!