Três dicas para cuidar da pele negra


Especialista traz dicas para manter a cútis saudável
A pele negra apresenta altos níveis de melanina e colágeno, substâncias que a tornam mais protegida dos raios do sol e mais resistente a marcas de envelhecimento, como rugas e linhas de expressão. Mesmo com tantas vantagens, engana-se quem pensa que esse tipo de pele não merece cuidados especiais. “Umas das principais características da pele negra é a melanina, responsável pela pigmentação, que funciona como uma espécie de protetor solar natural e, por isso, diminui a propensão aos tumores cutâneos. No entanto a alta concentração dessa substancia pode resultar na hiperpigmentação de algumas regiões, o que deixará marcas mais escuras e indesejadas”, comenta Thaís Carvalho, fisioterapeuta dermato-funcional da ONODERA Estética.

Abaixo, Thaís recomenda algumas dicas para manter a cútis negra bonita, viçosa e livre de manchas. Confira: 

Controle a oleosidade - Se por um lado a ação intensa dos fibroblastos garante a firmeza da pele, ela também provoca o aumento da oleosidade, já que a secreção das glândulas sudoríparas é maior em pele negra, favorecendo o surgimento de acne e foliculite.  “Por isso, a recomendação é higienizar o rosto duas vezes ao dia com sabonetes ou géis adstringentes sem óleo. Além disso, é importante esfoliar a pele semanalmente para evitar o surgimento de pelos encravados”.

Não esqueça o protetor solar –  Por mais que a pele negra seja naturalmente mais protegida dos raios solares, a é necessário passar protetor solar com no mínimo 30 FPS mesmo em dias nublados.

Redobre o cuidado com manchas - A alta concentração de melanina pode resultar no aparecimento de manchas. “Para amenizar as áreas escuras, aposte no peeling de cristal, que além de minimizar manchas, também ajuda a atenuar linhas de expressão e excesso de oleosidade. A indicação é de no mínimo 10 sessões, com frequência de uma vez por semana e duração de 60 minutos”.   
  

Compartilhe:

COMENTE!