Como a Atividade Física ajuda a combater a Obesidade


A Atividade Física é a forma mais fácil de evitar doenças e melhorar o estilo de vida, tanto pessoal como emocional, porém na grande realidade a população espera passar por algum problema para começar a se exercitar.

A prática da atividade física proporciona benefícios a composição corporal, saúde e a qualidade de vida. A magnitude das respostas aos exercícios parece estar associada a interação de diferentes variáveis, como a natureza do estímulo, a duração e intensidade do esforço, o grau de treinamento e o estado nutricional do praticante. Grande parte da população alega que a ausência de atividade física na rotina é o resultado da escassez de tempo, preguiça, falta de dinheiro e até dificuldade de encontrar uma atividade compatível com o estilo de vida. Entretanto os especialistas alertam que o sedentarismo favorece uma série de doenças, além de intensificar muitos problemas de saúde como: hipertensão, diabetes, obesidade, doenças cardiovasculares e até emocionais.

“A obesidade é caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal no indivíduo. Para o diagnóstico em adultos, o parâmetro utilizado mais comumente é o do índice de massa corporal (IMC). O IMC é calculado dividindo-se o peso do paciente pela sua altura elevada ao quadrado. É o padrão utilizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que identifica o peso normal quando o resultado do cálculo do IMC está entre 18,5 e 24,9. Para ser considerado obeso, o IMC deve estar acima de 30.” (Sociedade Brasileira de endocrinologia e metabologia). A obesidade é fator de risco para uma série de doenças. O obeso tem mais propensão a desenvolver problemas como hipertensão, doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, entre outras.

São muitas as causas da obesidade. O excesso de peso pode estar ligado ao patrimônio genético da pessoa, a maus hábitos alimentares ou, por exemplo, a disfunções endócrinas. Por isso, na hora de emagrecer, procure um especialistaA cada cinco brasileiros, um está obeso. Mais da metade da população está acima do peso. O país que até pouco tempo lutava para combater a fome e a desnutrição, agora precisa conter a obesidade. Por que a balança virou?

Indicadores apresentados pelo Ministério da Saúde mostram que, nos últimos 10 anos, a prevalência da obesidade no Brasil aumentou em 60%, passando de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016. O excesso de peso também subiu de 42,6% para 53,8% no período.

A principal recomendação de exercícios físicos para obesos engloba exercícios aeróbicos, resistidos, como a musculação e alongamento. Por meio das atividades aeróbicas, que incluem caminhada, corrida, ciclismo e natação, ocorre um aumento da utilização de lipídios como fonte de energia, que auxilia na redução dos depósitos de gordura e, consequentemente, na redução do peso corporal.
As atividades que exigem força e resistência muscular, como a musculação, favorecem, de forma significativa, o aumento do metabolismo basal.

Acompanhadas de algumas restrições alimentares, contribuem ainda mais na redução da gordura corporal. No entanto, vale ressaltar que somente um profissional especializado poderá orientar e descobrir o que mais se adequa a cada indivíduo.” (Terra).

No próximo artigo iremos trazer a importância dos exercícios físicos para grupos especiais, (Hipertensos). A pressão alta é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. No Brasil, cerca de 30% da população sofre com o problema que evolui quase sempre de forma lenta e sem sintomas.




Diego Cruz, Professor de Musculação,
 Graduando em Educação Física pela Unip, 
Pós graduando em Metodologia de Treinamento.
 Possui 3 anos de experiência em 
Administração de esportes e
 Musculação em academias.
@diego_personal

Compartilhe:

Postar um comentário