Turbinando o treino: como saber se é a hora de recorrer a suplementação

O texto a seguir foi escrito, enviado por uma assessoria de imprensa e publicado gratuitamente. O conteúdo não reflete necessariamente minha opinião sobre o serviço ou produto mencionado. 


Suplementos podem potencializar tanto a musculação como os exercícios aeróbicos, mas é preciso saber usar de forma correta.

Nos últimos anos os cuidados relacionados ao corpo cresceram demasiadamente. A indústria voltada para a estética ganhou mais espaço e a cada momento faz novas descobertas e revela procedimentos inovadores que, muitas vezes, parecem até ser milagrosos. Ao mesmo passo, o ramo alimentício começou a investir em produtos com o propósito de auxiliar nas dietas e melhorar a forma física, prova disso é a alta oferta de alimentos fit que vemos nas prateleiras dos supermercados atualmente. No entanto, apesar de focar na boa forma e aparência física, muitos passaram a se preocupar com a saúde em primeiro plano, observando a procedência e valor nutricional dos produtos consumidos e avaliando as vantagens e os riscos dos procedimentos realizados.
Com isso, o mercado vem buscando novas formas de se adaptar e atender à essa demanda, investindo em produtos que podem aliar saúde e os resultados físicos desejados, como os suplementos. Há disponível hoje uma infinidade de opções comercializadas, que atendem aos diferentes objetivos dentro do treinamento físico. Porém, antes de mais nada, é necessário verificar se o corpo realmente carece de uma suplementação, além disso, entre tantos, é preciso saber ainda qual atende melhor as necessidades individuais de cada pessoa, e o momento adequado de tomá-los, pois existem vários tipos de suplementos para os diferentes propósitos no treino.

Alinhe o cardápio

A nutricionista Sinara Menezes afirma que a base para ter um corpo saudável está na alimentação: “Todos os alimentos ingeridos na dieta interferem de forma positiva ou negativa no organismo, portanto, ela é determinante para quem busca uma definição corporal, seja para a perda de peso ou para o ganho de massa muscular, a diferença está justamente na escolha do que deve compor o cardápio e as quantidades de cada ingrediente”. A profissional da Nature Center afirma que, no entanto, “antes de mais nada, vale ressaltar que nosso organismo tem necessidades nutricionais para funcionar corretamente independentemente da meta física, portanto é fundamental fornecer o aporte adequado para evitar carências que, além de sabotar seus resultados, ainda prejudicam a saúde”. Segundo a especialista alguns grupos alimentares são indispensáveis nos pratos das principais refeições: proteínas, carboidratos complexos e fibras devem marcar presença todos os dias, o que varia são as quantidades dependendo da hora do dia e da dieta de cada um.

Proteínas: Elas auxiliam no processo de regeneração do tecido muscular, recuperando os músculos durante o período de descanso após uma atividade intensa, como a musculação. Elas também participam da construção e manutenção de todos os órgãos do corpo. São encontradas tanto em origem animal, quanto vegetal e sua digestão é mais lenta, fazendo com que o organismo gaste mais energia nesse processo.

Carboidratos complexos: Eles são a principal fonte de energia do nosso organismo, no entanto, os classificados como simples possuem um alto índice glicêmico (IG) que pode elevar nosso hormônio da insulina e resultar em complicações no metabolismo. Já os complexos são aqueles que não passam pelo processo de refinamento e, portanto, carregam uma boa quantidade de fibras, reduzindo seu IG e promovendo a oferta de energia ao corpo por mais tempo.

Fibras: Encontradas em abundancia em vegetais, frutas e grãos integrais, as fibras são responsáveis pela manutenção e bom funcionamento do transito intestinal. Elas promovem uma sensação de saciedade por um período prolongado e ainda são capazes de reduzir consideravelmente a absorção do açúcar no sangue e colesterol, prevenindo doenças cardíacas. É importante lembrar que seu consumo deve ser associado a ingestão de água para garantir seus efeitos benéficos.

Defina a melhor estratégia para atingir sua meta

O objetivo do treino é o que vai determinar o tamanho das porções e a frequência dos alimentos ingeridos na dieta. É importante saber onde se quer chegar para traçar o caminho mais estratégico. “A proteína é fundamental para o ganho de massa magra porque ela atua na recuperação e crescimento dos músculos. Já os carboidratos complexos vão preservar esse tecido muscular diante dos exercícios mais intensos para que o corpo não use isso como energia, portanto, para quem busca uma definição muscular é recomendado o aumento do consumo de alimentos ricos em proteínas e carboidratos integrais, como batata doce, carnes magras, peixes, peito de frango, entre outros” – explica a nutricionista. Ela afirma que, para quem tem a perda de peso como meta, esses grupos ainda devem estar presentes na alimentação, porém em porções menores: “Nesses casos deve-se reduzir a ingestão calórica, e priorizar os vegetais, frutas e legumes”.

Hora de suplementar

No entanto, muitas vezes, só a alimentação não é o bastante para atingir os resultados desejados, especialmente com a correria do dia a dia, onde diversos fatores externos podem interferir no processo e prejudicar o andamento. O ritmo de vida moderno com o trabalho, estudos e demais obrigações domésticas e sociais atrapalham nossa disciplina e o cansaço decorrente disso elimina nossa disposição para encarar os exercícios. Não é segredo para ninguém que a suplementação é uma grande aliada para enfrentar essas dificuldades, mas, ainda existem muitas dúvidas e mitos em torno disso.

O primeiro deles é a crença de que os suplementos só atendem aqueles que querem ganhar massa muscular e atingir hipertrofia, esta é uma concepção equivocada, afinal a suplementação pode ter diversas finalidades, como garantir mais energia, aliviar a fadiga, aumentar a resistência, acelerar o metabolismo e auxiliar o corpo no processo de regeneração muscular, possibilitando conciliar os objetivos ao estilo de vida de cada um. Porém, saber escolher o produto certo também faz toda a diferença.

Segundo Menezes o consumo reduzido de calorias no processo de emagrecimento pode impactar no aporte de nutrientes e vitaminas, especialmente se a pessoa não conseguir ingerir uma grande variedade de verduras e legumes: “Nesses casos a suplementação de vitaminas e minerais pode ser uma alternativa, inclusive, suplementos para dar mais energia e aumentar a disposição durante o treino podem ser considerados também, como aqueles a base de cafeína. O mesmo serve para quem tem o metabolismo mais lento e deseja acelerar o processo, pois a cafeína é um termogênico poderoso”.

Fique de olho na intensidade do treino

Quanto mais pesado for o exercício maior será o desgaste muscular, portanto, para que não aconteça o efeito rebote e o corpo comece a queimar massa magra, é necessário que o aporte de proteínas esteja em dia, assim como o dos carboidratos complexos também. Isso irá garantir que o metabolismo processe a fonte certa de energia: as gorduras. Justamente por esse motivo é que os suplementos proteicos são muito populares entre os frequentadores de academia. Outro ponto importante a ser considerado é o lanche pré-treino, ele é determinante para conseguir enfrentar todo o treino programado, para isso a dica da nutricionista é apostar em lanches integrais mais leves cerca de 1 hora antes do treino, pois eles podem garantir saciedade e energia por mais tempo, evitando a hipoglicemia.

Mantenha-se motivado

As vezes os resultados são mais rápidos para uns do que para outros, isso varia de acordo com o metabolismo e a rotina de cada pessoa. Além disso, o corpo precisa de um período para adaptação e o treino deve estar alinhado a um cardápio saudável e intervalos de descanso adequados. O importante é manter o foco e seguir à risca todas as orientações do especialista até que o organismo se acostume aos novos hábitos e aprender a manter o ritmo acelerado. Enquanto isso, além de paciência e determinação, há algumas dicas que podem auxiliar nesse processo, confira a seguir:

Não se pese com frequência exagerada: é recomendado que a pesagem seja feita apenas uma vez na semana ou a cada 15 dias, sempre no mesmo horário. Subir na balança todos os dias, ou mais que isso, pode dar a falsa impressão de que o processo está lento demais ou que algo está errado com o cardápio e o treino, porém essas coisas só podem ser medidas depois de um certo período de prática. Além disso, nosso corpo sofre variações e alterações metabólicas durante o dia que devem ser consideradas.

Tire suas medidas: os músculos pesam mais do que a gordura, porém a gordura ocupa um volume maior, isso significa que, se você está treinando, certamente sua musculatura está em desenvolvimento e isso pode acarretar em uma alteração do peso, que pode ficar estável ou, até mesmo, se elevar um pouco. Isso não significa que você não queimou gordura, mas sim que ganhou músculos. Para ter um controle mais preciso, o ideal é acompanhar as medidas corporais junto com a pesagem, pois elas indicam a diminuição do volume de gorduras.

Não exagere: o período de descanso entre um treino e outro é extremamente importante para a regeneração muscular, dessa forma o musculo se recupera e vai crescendo aos poucos. Esse processo também é fundamental para o funcionamento do corpo, que mantém o ritmo acelerado em função da musculatura. Treinar excessivamente sem respeitar o tempo de pausa pode causar um desgaste muscular prejudicial à saúde e atrapalhar inclusive o processo de emagrecimento.

Evite as compulsões: muitas vezes passar um longo período sem se alimentar pode resultar em uma compulsão durante a refeição, caracterizada por um descontrole em relação à quantidade ingerida, que faz com que seja maior que o necessário, ou ainda um forte desejo por doces e frituras, sabotando a dieta. Isso acontece porque o corpo tem a necessidade de adquirir uma fonte rápida de energia em vista do tempo que está sem se alimentar. Portanto, para evitar que isso ocorra é recomendado fracionar a alimentação em pequenas porções distribuídas ao longo do dia.

Procure sempre um profissional: Jamais faça uso deliberado de suplementos. Se surgirem dúvidas na hora de compor o cardápio ou recorrer à suplementação, consulte sempre um médico/nutricionista. Somente ele será capaz de indicar as mudanças adequadas e seguras para o seu perfil.

Fonte: Nature Center


x_d5db45e

Compartilhe:

Postar um comentário