Turbinando o metabolismo

O texto a seguir foi escrito, enviado por uma assessoria de imprensa e publicado gratuitamente. 
O conteúdo não reflete necessariamente minha opinião sobre o serviço ou produto mencionado.


Outra questão extremamente relevante para o emagrecimento é o metabolismo. Essa taxa representa a quantidade total de energia gasta pelo organismo diariamente nas suas funções, desde as mais básicas como o sono e a digestão até o esforço para caminhar ou se movimentar. Em muitos casos, a dificuldade para perder peso pode ser fruto de um metabolismo lento, ou seja, um organismo que gasta poucas calorias para se manter ativo. Diversos fatores podem afetar essa taxa, sendo que alguns deles fogem do nosso controle como a genética, sexo, idade e problemas de saúde. Contudo, outros sofrem influência direta do estilo de vida: a alimentação, o nível de atividade física e até mesmo a qualidade de vida (stress, sono, vícios) podem determinar o ritmo do metabolismo.
Portanto, uma pessoa que deseja acelerar essa taxa e assim queimar mais calorias, deverá focar nos elementos que ela pode transformar, como por exemplo, fugir do sedentarismo e investir numa alimentação equilibrada. Neste âmbito, alguns alimentos se destacam: os termogênicos. Muitos conhecidos pela sua capacidade de estimular a termogênese, processo no qual o organismo aumenta a queima calórica para estabilizar a temperatura interna, estes alimentos são capazes de turbinar o metabolismo e favorecer o plano de emagrecimento.

A novidade: café verde

Já famosa pelas suas propriedades termogênicas, a cafeína é um dos itens indispensáveis para turbinar o metabolismo por meio da dieta. Porém, para conseguir efeitos ainda mais eficazes, a grande novidade do momento é a inclusão do café verde no cardápio. De acordo com Sinara, os nutrientes benéficos se encontram em níveis muito mais elevados no grão in natura “A torra é feita, sobretudo, com o intuito de reduzir o sabor amargo do grão de café, mas, em contrapartida, faz com que muitas propriedades do alimento se percam. No grão natural, ou seja, no café verde, a concentração de cafeína e de ácido clorogênico é muito superior quando comparado com o matinal. Portanto, é uma escolha muito mais potente que o tradicional cafezinho para obter o efeito termogênico”.
Como mencionado pela profissional, outra vantagem deste alimento é seu nível elevado de ácido clorogênico. Evidências apontam que este fitoquímico seria capaz de reduzir o nível de glicose no sangue e como o excesso dessa substância no organismo é um dos fatores que levam ao acúmulo de gordura, indiretamente, seu consumo reduziria as chances de ganho de peso. Em evidência, o composto também tem sido apontado como favorável no combate ao envelhecimento precoce, devido suas propriedades antioxidantes. Ainda que algumas propriedades ainda estejam em estudo, já existe o consenso de que a cafeína é uma grande aliada das dietas de atletas devido seu potencial energético; fato igualmente relevante para aqueles que desejam perder peso, uma vez que a prática de atividades físicas é primordial para alcançar os objetivos.

Controlando a fome

Para obter sucesso no emagrecimento, é fundamental reduzir a ingestão calórica, ou seja, consumir menos calorias do que se gasta ao longo do dia. Porém, um dos maiores desafios de quem inicia uma dieta é, justamente, conseguir controlar o apetite. E essa sensação tem explicação científica “Quando reduzimos o consumo de calorias, forçando o organismo a recorrer aos estoques de gordura, nosso cérebro entende que estamos passando por um período de escassez de alimentos. Diante disso, uma das primeiras reações naturais do nosso corpo é ativar os mecanismos de fome, a fim de reabastecer o estoque perdido. Justamente por isso é muito comum se sentir faminto no início da dieta. Outro ponto importante é que este mecanismo é um dos fatores ligados ao efeito sanfona, especialmente em dietas extremamente restritivas, portanto é preciso muito equilíbrio e disciplina.” – explica a nutricionista. Sendo assim, como evitar a fome excessiva?

A novidade: cromo

O nome pode parecer estranho, mas o cromo, mineral presente em alimentos como o brócolis, a maçã, levedo de cerveja e em alguns cereais integrais pode ser um grande aliado na hora de “fechar a boca”. Quando ingerido, o cromo age como potencializador da insulina, hormônio responsável por “carregar” a glicose para dentro das células. Dessa forma, a insulina aproveita melhor a substância, reduzindo os picos de glicose. E o que isso tem a ver com o apetite?
Em geral, a fome abrupta ocorre quando existe muito açúcar na corrente sanguínea e a insulina não consegue carregar toda substância para o interior da célula, ou seja, em virtude dos picos de glicose. Neste momento, o excesso é armazenado como gordura e a concentração de açúcar cai bruscamente, fazendo com que o organismo entenda que existe uma falta de glicose no sangue. A partir daí, o mecanismo de fome é ativado, como forma de conseguir mais energia. “Justamente por isso, é comum sentir aquele desejo por doces após uma refeição rica em carboidratos refinados. É como um círculo vicioso” – explica a nutricionista.
A ineficiência da insulina pode estar ligada a diversos fatores, como a alimentação inadequada, a diabetes ou a própria carência de cromo, uma vez que o mineral ajuda o hormônio a captar a glicose. Logo, o consumo do nutriente, especialmente na forma de picolinato de cromo – cuja absorção pelo organismo é mais eficaz – beneficia o aproveitamento da glicose e, consequentemente, a saciedade.

Cautela no cardápio

Por mais que as novidades pareçam imperdíveis, é preciso cautela. Não basta incluir tudo no cardápio acreditando que os quilinhos extras vão sumir como mágica: é fundamental investir na alimentação saudável e na prática regular de atividades físicas para alcançar o emagrecimento seguro. Além disso, a orientação médica é indispensável “Alguns nutrientes podem interferir na absorção de outros e surtir o efeito contrário do desejado, por isso, antes de fazer qualquer mudança na dieta, é essencial buscar ajuda profissional. De acordo com o perfil do indivíduo, um determinado nutriente ou  suplemento pode ser mais indicado do que o outro ” Para finalizar, a nutricionista complementa “Independente de qualquer plano, é importante manter-se motivado, investindo sempre numa alimentação balanceada e no exercício físico. Dessa forma, tanto o corpo quanto a saúde serão beneficiados e certamente o objetivo será alcançado.”

Fonte: Nature Center

x_d5db45e

Compartilhe:

Postar um comentário