Doenças de pele mais comuns no Brasil / Saúde da pele


Verão sem dúvidas é a estação do ano onde a incidência de raios salores é em maior quantidade e os cuidados com a pele devem ser redobrados. Filtro solar no corpo e rosto, proteção também para os cabelos e observar os horários favoráreis para exposição ao Sol, prática de exercícios físicos e tomar água para hidratar o corpo. Os cuidados são essenciais e quase infinitos além de variar de pessoa para pessoa (levar em consideração a idade e especialmente o objetivo de cada um com a saúde).

Abaixo segue uma matéria especial com dicas importantes sobre as doenças de pele mais comuns no Brasil.

Imagem google
As informações são da dermatologista Livia de Andrade Bessa, do Centro Dermatológico Giovanni Bojanini

Férias é o momento perfeito para aproveitar os dias de descanso e curtir o verão sem medo de ser feliz. A estação mais quente do ano é perfeita para ir à praia ou piscina. Embora seja um período propício para a prática de atividades ao ar livre, o verão também favorece o desenvolvimento de fungos, bactérias e microrganismos. O calor e o suor excessivo propiciam o surgimento de algumas doenças de pele e aumentam o risco de queimaduras. As doenças mais comuns são micoses, brotoejas, manchas e sarda brancas, bicho geográfico, acne solar e herpes labial. Os fundos que causam as micoses se alimentam de queratina e podem aparecer nos pés, virilha, unhas e em outras partes do corpo.

Por isso, é necessário evitar andar descalço em lugares molhados, secar todas as dobrinhas após o banho, dando atenção especial aos pés, virilha e unhas.
Segundo a dermatologista Livia de Andrade Bessa, do Centro Dermatológico Giovanni Bojanini, “durante o verão podem ocorrer reações alérgicas ao sol (fotodermatose) – podem surgir com o uso de cosméticos e até mesmo medicações orais, queimaduras e inflamações.

Algumas substâncias presentes em alguns tipos de alimentos (como o limão) em contato com a pele e após exposição solar desencadeiam uma reação alérgica (fitofotodermatose) levando ao surgimento de lesões tipo queimadura na pele. Outro quadro comum é a insolação e os sintomas são: temperatura corporal elevada, mal-estar, dor de cabeça, falta de ar, tontura, taquicardia, náuseas e vômitos. Em casos mais graves pode haver confusão mental e perda da consciência.

Imagem google
Para prevenir a insolação, deve-se evitar a exposição demasiada aos raios solares, especialmente entre as 10h às 16h, evitar a prática de atividades físicas no sol, usar roupas adequadas e ingerir bastante líquido.” “É essencial usar o filtro solar durante o verão, passando o produto 30 minutos antes da exposição ao sol e reaplicá-lo a cada duas horas. Em caso de transpiração excessiva ou após entrar no mar ou na piscina a reaplicação deve ser imediata. O cuidado vale para a pele, cabelo e a boca. Utilizar roupas leves, óculos de sol, chapéu, viseira e boné ajudam a reforçar a proteção. Além disso, é fundamental evitar a exposição solar entre 10 e 16 horas – período de maior incidência de radiação ultravioleta B (responsável pelo surgimento do câncer de pele). Lembrar de passar o filtro solar nas mãos, orelhas, nuca e pés.

A prevenção é a melhor maneira de se proteger”, enfatiza Lívia de Andrade Bessa. Bons hábitos contribuem para manter a pele bem cuidada e hidratada.

Durante o verão, beber muita água, suco de frutas e água de coco são imprescindíveis.

Alguns alimentos que contem arotenóides (substância que se deposita na cútis e ajuda a reter as radiações ultravioletas) são grandes aliados nesta tarefa de prevenir danos causados pelo sol. São eles: cenoura, beterraba, abóbora, mamão e maçã.

Ingerir frutas e legumes com alto teor de água auxilia na hidratação do corpo, ameniza os sinais do envelhecimento e auxilia na prevenção de doenças.

Contato: (11) 2628-8500

Texto: Assessoria de imprensa
x_d5db45e

Compartilhe:

Postar um comentário